• Twitter
  • RSS

UNESCO HIV and Health Education Clearinghouse

Search resources

The search found 20 results in 0.021 seconds.

Search results

  1. Manual clínico de alimentação e nutrição na assistência a adultos infectados pelo HIV

    O presente documento, elaborado pelo Programa Nacional de DST e Aids e Coordenação Geral de Alimentação e Nutrição do Ministério da Saúde, contou com a colaboração de profissionais da área de Nutrição e HIV/Aids de serviços e redes de apoio do país. O objetivo é trazer informação aos profissionais de saúde do Sistema Único de Saúde, envolvidos no aconselhamento e tratamento das pessoas vivendo com HIV e aids (PVHA). O objetivo deste material é servir de base na avaliação e aconselhamento nutricional. …

  2. Rotinas de Assistência Domiciliar Terapêutica (ADT) em HIV/AIDS

    A Assistência Domiciliar Terapêutica em Aids (ADT), implantada em 1995 no Brasil, constitui-se em uma modalidade assistencial com o objetivo de prestar atendimento multidisciplinar diferenciado, em nível domiciliar, às pessoas que vivem com HIV/AIDS. Contando com uma equipe formada por médico, enfermeira, assistente social e psicólogo, visa proporcionar ao paciente e sua família uma assistência integral, uma melhor qualidade de vida e uma redução no índice de demanda e ocupação dos leitos hospitalares. …

  3. Manual de rotinas para assistência de adolescentes vivendo com HIV/Aids

    Adolescentes e jovens estão sendo infectados e afetados pelo HIV mais do que qualquer outro grupo populacional. As características sócio-demográficas e culturais dos adolescentes e jovens vivendo com HIV/aids mostram a necessidade de se implementar ações de intervenção preventiva e clínica de qualidade que contemple as necessidades desse grupo populacional de forma mais efetiva, integral e participativa. …

  4. Plano Nacional de Enfrentamento da Epidemia de AIDS e das DST entre Gays, HSH e Travestis

    O Ministério da Saúde, em parceria com o Conselho Nacional dos Secretários de Saúde (CONASS) e o Conselho Nacional de Secretários Municipais de Saúde (CONASEMS), apresenta às instituições que atuam no campo da promoção da saúde, dos direitos humanos, dos direitos sexuais e reprodutivos o Plano Nacional de Enfrentamento da Epidemia de Aids e DST entre Gays, outros Homens que fazem Sexo com Homens (HSH) e Travestis. …

  5. Qualiaids : avaliação e monitoramento da qualidade da assistência ambulatorial em aids no SUS

    Desde o inicio da epidemia de aids, o Brasil expandiu expressivamente o número de serviços de atenção às pessoas que vivem com HIV/aids (PVHA). Hoje, em todo o país, mais de 600 serviços do SUS prestam assistência ambulatorial às PVHA. Esses serviços possuem diferentes configurações institucionais: são ambulatórios gerais ou de especialidades, ambulatórios de hospitais, unidades básicas de saúde, postos de saúde, policlínicas e serviços de assistência especializados em DST/HIV/aids (SAE). …

  6. Manual de adesão ao tratamento para pessoas vivendo com HIV e aids

    Com tiragem inicial de 10 mil exemplares, o Manual de Adesão ao Tratamento para pessoas vivendo com HIV e Aids material será distribuído para as os serviços e ONG que prestam assistência a pessoas vivendo com HIV/aids. A proposta é que esta publicação seja usada por profissionais que trabalham com este tema, com o objetivo de que as atividades em adesão extrapolem a compreensão focada apenas nos medicamentos e ampliem suas ações - de forma compartilhada com os usuários - para fora dos espaços tradicionalmente utilizados. …

  7. Recomendações para Terapia Antirretroviral em crianças e adolescentes infectados pelo HIV - Suplemento 1

    Em 2009, o Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais do Ministério da Saúde publicou a nova edição das Recomendações para Terapia Antirretroviral em Crianças e Adolescentes Infectados pelo HIV com atualizações do manejo clínico dessa população, introduzindo novos capítulos com temas relevantes para a assistência, entre eles: cuidado integral, abordagem da adesão à terapia antirretroviral, revelação diagnóstica e o adolescente vivendo com HIV/aids. …

  8. Recomendações para Terapia Antirretroviral em Crianças e Adolescentes Infectados pelo HIV

    A partir de 1994, o Programa Nacional de DST e Aids passou a publicar o Guia de Tratamento Clínico da Infecção pelo HIV em Crianças, com as informações mais importantes sobre os avanços ocorridos nas orientações para o tratamento e acompanhamento das crianças infectadas e expostas ao HIV. Esse Consenso, revisto periodicamente pelo Comitê Assessor para Terapia Antirretroviral em Crianças Infectadas pelo HIV, tem incluído novos temas cada vez mais abrangentes, com o intuito de tornar-se uma referência para os profissionais que têm dificuldade de acesso a outras referências técnicas. …

  9. Guia para o Cuidador Domiciliar de Pessoas que Vivem com HIV/Aids

    Tendo-se em vista a importância da assistência integral às pessoas vivendo com HIV/aids, o respeito aos seus direitos e a sua dignidade, bem como das ações de prevenção e do amplo acesso ao tratamento para o prolongamento da expectativa e da qualidade de vida das pessoas vivendo com o HIV/Aids, o presente Guia pretende esclarecer, de modo simples e ilustrativo, as situações mais comuns com as quais se deparam os cuidadores domiciliares de pessoas que necessitam de atenção especial. …

  10. Recomendación general no. 8/2004. Sobre el caso de la discriminación en las escuelas a menores portadores de VIH o que padecen SIDA

    Recomendación general de la Comisión Nacional de los Derechos Humanos de México respecto a casos de discriminación en las escuelas hacia niños que viven con VIH.

  11. Normas para la atención integral a las personas con VIH

    El presente documento plantea el abordaje del paciente desde un punto de vista interdisciplinario, da recomendaciones para la utilización correcta de la terapia antirretroviral en adultos, madres y niños y niñas, provee información para el tratamiento oportuno de enfermedades oportunistas, incluye la temática de la co-infección VIH/TBC y da recomendaciones para el seguimiento y apoyo tanto a las personas con VIH como a sus familiares.

  12. Compresión y respuesta al estigma y la discriminación por el VIH/sida en el sector salud

    El presente análisis procura profundizar la comprensión del estigma y la discriminación en relación con el VIH/SIDA en los servicios de salud de América Latina y el Caribe. Con este fin, primero se examinan los componentes del fenómeno, su interrelación y las lagunas en los conocimientos actuales. En segundo lugar, se comparan estudios sobre el estigma y la discriminación y proyectos destinados a reducir su incidencia y repercusiones. Por último, se esbozan las estrategias para una respuesta integral. …

  13. Voces y abrazos : Sistematización de experiencias para fortalecer la adherencia y mejorar la calidad de vida de las personas con VIH/sida

    Descripción de experiencias para garantizar la adherencia al tratamiento antirretroviral para personas que viven con VIH en Argentina. Se describen actividades de educación de pares, consejería, visitas domiciliarias, trabajo comunitario y otras. La problemática se aborda desde un punto de vista social, de derechos humanos y también médico.

  14. Guía de incidencia política en VIH/SIDA: hombres gay y otros hsh

    Eláobjetivo central de este documento es proporcionar a hombres gays y otros hombres que tienen sexo con hombres, los lineamientos básicos sobre cómo incidir políticamente (es decir, hacer advocacy) en los programas de prevención y tratamiento de ITS/VIH/SIDA. La presente guía comienza con una revisión del panorama de la epidemiología del vih/sida en América Latina y el Caribe elaborada por José Antonio Izazola. A partir de ahí, intenta trazar el surgimiento de la incidencia política como una estrategia válida para la conquista de los derechos de los HSH. …

  15. VIH-SIDA en Uruguay: epidemia concentrada en sectores de mayor vulnerabilidad

    Nota publicada en el sitio web del Programa Prioritario de ITS y SIDA sobre la situación del VIH/SIDA en Uruguay. En un estudio realizado y publicado en diciembre de 2008, se reveló una baja prevalencia nacional, concentrada en los grupos más vulnerables. Se alcanzó una "meseta", es decir un control de la epidemia en la población general. Dos uruguayos por día eran notificados de la enfermedad, actualmente, la cifra descendió a uno, lo que demuestra que las acciones preventivas están dando sus frutos.

Pages

Our mission

Supporting education ministries, researchers and practitioners through a comprehensive database, website and information service.